DiY- Sistema de Transmissão por Corrente (limpeza)

Quando se deve fazer uma limpeza ao sistema secundário de transmissão por corrente?
Boa pergunta!
Nem eu sei responder.
Por isso, criei o meu próprio critério e então decidi que fosse sempre que mudasse a roda traseira .
Porquê?
Porque a roda traseira, no meu caso, dificilmente vai alem dos 10000km’s, o que significa umas 20 lubrificações se levarmos em conta que lubrificamos a corrente cada 500km (+/-).
Depois, porque a borracha e os diluentes ou detergentes de limpeza não se falam e para não estar a criar problemas de aderência num pneu que me pode mandar ao chão, jogo pelo seguro e afasto-o de todas essas matérias. Para acabar, porque para mudar o pneu tenho que sacar a roda do seu lugar, facilitando muito a acessibilidade mecânica para a operação de limpeza.
Nesta ocasião a “cobaia” vai ser a Artax que já andava meia coxa e sem poder subir ao monte derivado ao pneu de origem que se lambeu todo no Caminho!

1 carga

Esta é a menina com a trouxa toda em cima, para que nada lhe falte la no consultorio.

De onde me encontro ao consultório existem 35km de autovia que são uma autentica pasmaceira. Confesso que me vi tentado a ir pelo caminho, que tem uns saltos altamente, mas não achei muito prudente andar a dar saltos com as caixas de ferramentas a dois pneus em cima da mota.
Chegado ao consultório, o melhor seria desmontar as coisas e levar a Artax para uma ducha.

2 banho

Lavar uma moto antes de uma operação de manutenção é sempre uma mais valia, pois ajuda a que não existam corpos estranhos a interferir.
Neste caso até é melhor, pois a agua ajuda a tirar boa parte da nhãnhã agarrada a corrente e demais elementos da transmissão.

3 garagem

E aqui a temos, preparada para a vida dura de ser uma moto do monte a ponto de lhe baixarem as cuecas!!
Na ausência de um descanso central, que é uma ajuda preciosa nestes casos, recorri a um elevador que tenho, que serve para todas as motos, principalmente paras as de todo terreno.

4 Levantar

O sistema de transmissão secundaria são compostos por três elementos. Pinhão de ataque, cremalheira e corrente. No entanto existem as guias, que não sendo elementos da transmissão, são elementos de desgaste que permitem o seu correcto funcionamento.

5 Protector

Nas motos de todo terreno estas são muito importantes porque permitem que a corrente não salte fora do seu leito com as variações bruscas de tensão da mesma, derivado do curso longo e funcionamento da suspensão traseira.

6 guia

Aqui temos a guia de cremalheira, pronta para a banhoca.

7 Molho

Isto é uma tina com gasóleo, onde deixei de molho as varias peças que fui desmontando para limpar. O gasóleo não é o melhor, visto que não é um desengordurante a 100%, mas é um excelente dissolvente e, no caso da corrente de transmissão, não é muito agressivo para os o-rings.

8 pinhão

Aqui já falta o protector de pinhão…
Já esta de molho!

9 pastilhas

O próximo passo a seguir é o de desmontar a roda.
Para facilitar a coisa, ganhar espaço de manobra e não andar a bulha com Artax, convém afastar as pastilhas do travão traseiro. Para tal, podemos utilizar uma chave de fendas grande que, com carinho e delicadeza, serve de alavanca para convidar os pistões a retroceder e deixar mais espaço livre entre as pastilhas e o disco.
Depois podemos aliviar a porcas do eixo da roda traseira, para de seguida aliviar os esticadores da corrente.

10 desafinar

O objectivo é deixar a corrente laça para se retirar da cremalheira, para alem de se criar a folga necessária para retirar o eixo da roda e permitir que a roda deixe de fazer parte do corpo da mota.

11 eixo

Uma vez a roda solta e a porca totalmente desenroscada, esta tudo pronto para retirar a roda do seu sitio.

12 martelo

Mas, ao que parece, Artax teve alguma relutância em deixar sair o eixo e libertar, embora que momentaneamente, a sua roda traseira.
Tivemos que acudir aos serviços do meu amigo Martelo!

13 roda fora

Ora aqui esta, a roda já por sua conta!

14 Eixo metodo organizativo

A quando da minha juventude, vi o meu pai a desmontar muitas coisas. Quando não era a moto-serra ,era o motor de rega, passando por embraigens e caixas de carros, motores a 2T, até mesmo os complicadissímos sistemas de transmissão que nos ocupam hoje!
Quando não sabia bem o que ia sair dali utilizava o método da tábua.
Agarrava numa tábua, limpava-a e dispunha as peças pela sua ordem de desmontagem, mantendo a posição em que saíram e com o objectivo de não perder de vista a sua posição de origem e posição de montagem. Apesar de não haver aqui uma tábua, este trapo velho cumpre a mesma função e como era primeira vez que desmontava o Eixo da roda da Artax era importante saber a posição dos casquilhos “espaçadores” e das escalas de ambos esticadores de corrente.

15 secagem

Foi tudo lavado, limpo e seco,para posterior montagem.

16 Lavagem

Lavar a corrente é uma tarefa muito semelhante a da luta na lama, so que desta vez sem gajas nuas e com um cheiro nauseabundo a gasóleo!
A técnica consiste em, sem desmontar a corrente do pinhão de ataque, deixar a parte inferior de molho e lavar a parte superior. Quando já chega, puxa-se pela parte indefiro para que entre uma no parte no molho e a parte que saiu de molho leva a esfrega desta trincha que se vê. E assim até que a corrente brilhe.
Ao mesmo tempo as sobras de gasóleo vão empapando a nhãnhã que esta no pinhão de ataque!

18 Pinhao sujo

Que depois lavamos com gasoleo e a fricção da trincha justiceira!

19 cremalheira

No caso da Artax, que não existem silent blocks depois da cremalheira para amortecer as investidas da caixa, lavar a cremalheira com gasóleo é uma tarefa que requer alguma atenção.
O gasóleo pode reduzir o índice de atrito das pastilhas no disco de travão, pelo que, para evitar que este elemento fique “vidrado”, convém ter cuidado ao lavar a cremalheira e depois de tudo seco, preventivamente, passar uma lixa fininha no disco para eliminar eventuais capas de gordura.

20 Cremalhiera limpa

Olha ai! Ficou lindo não foi!
Agora mudar o pneu.

21 mudar pneu

Não é muito dificil!

21 mudar pneu

Rebarbadora dali, maçarico por acolá…

22 camara de ar

…uma câmara de ar reforçada há mistura….

23 Roda mudada

Et voilá!
Roda montada!

24 Reposição

Agora é momento de voltar a por tudo no sitio!
E agora!?

25 Colocação de eixo

Para por a roda no sitio precisamos do eixo, que tem que montar a escala dos esticadores e os “espaçadores” nos seus sítios. Tudo isto sem esquecer de voltar a por a pinça de travão traseiro no seu sitio para que seja mordaz o suficiente! Por isso é tão importante fazer uma boa observação no momento da desmontagem e guardar a posição correcta das peças.
Aqui já estava tudo no sitio, com a porca abicada, pronto para o próximo passo!

26 corrente montagem

O próximo passo era por a culpada disto tudo no sitio!
Mas prontos, ate esta asseadinha e tudo, damos-lhe um desconto!

27 guias (montagem)

Já com a corrente no seu leito, é tempo de montar as guias.
Depois já podemos esticar a corrente, deixando a folga indicada pelo construtor, procurando manter a roda alinhada antes de apertar a porca do eixo com uma muito amiga minha, chamada Dina (Dinamometrica).

28 prtecção do pinhão (montagem)

Na frente monta-se a protecção do pinhão e já esta pronta para a banhoca!

29 banho pos montagem

Outra vez!?
Se o banho inicial ajudou par retirar parte da nhãnhã da corrente, este ajuda a retirar os excessos de gasóleo que estão no sistema e que podem diluir o lubrificante de corrente impedindo-o de fazer bem o seu trabalho!

30 Limpeza Feita

E aqui está o trabalho de limpeza concluído!
Olha aí hã!
Parece novo!

31 lubrificar

Vamos lá então lubrificar a corrente como deve de ser!

32 Lubrificante

Este é o lubrificante que eu utilizo, que tem uma base de teflon, um excelente anti-fricção que ajuda a proteger os o-rings das correntes deste tipo.
No entanto a cadencia de lubrificação deve ser respeitada, sendo que se deve lubrificar a cada 500km em quente, depois do banho ou inclusive, encurtar este intervalo se os ambientes são muito poeirentos ou enlameados!

33 resultado final

Aí esta o resultado final!
Pronta para o monte e para curtir bons momentos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s